quarta-feira, 6 de junho de 2018

NEWSLETTER Nº 50

Com esta newsletter encerramos as publicações sobre as atividades deste ano, na nossa biblioteca.


segunda-feira, 4 de junho de 2018

VARIAÇÕES SOBRE UM TEMA


Texto descritivo da Magret

 A Magret é uma grande amiga minha, uma bailarina muito bonita que adorava dançar ballet e dança lindamente.
  Ela tem uma cara redonda e pequena e sempre com as sua bochechas coradas. O seu cabelo está sempre apanhado com a risca a meio e um ramo de flores a decorar. Ela tem os olhos castanhos e grandes, uns olhos cheios de ternura e carinho e uma boquinha pequena e carnuda. Ela é elegante e alta.
  Ela é muita vaidosa, está sempre bem vestida como se fosse a uma festa e quando vai para o ballet ela arranja-se muitíssimo bem. O seu vestido de ballet é rosa, com várias flores espalhadas e para ficar ainda melhor deixa os ombros dela descobertos. E os seus sapatos são em rosa bebé para combinar com o resto.
  A Magret é uma boa amiga, bondosa, carinhosa, solidária e está sempre pronta a ajudar o próximo. Mas às vezes consegue tornar-se teimosa, convencida e até um bocado controladora.

Inês Devesa
7º A    Nº 11

 
 



terça-feira, 29 de maio de 2018

VARIAÇÕES SOBRE UM TEMA


A Magret

   A minha amiga Magret era uma bailarina baixa e elegante. Tinha os cabelos castanhos presos num puxo e decorados com flores de todas as cores do arco-íris. O seu rosto era doce e delicado, os olhos eram grandes e cor de amêndoa e as suas faces eram rosadas como dois morangos.
   Ela usava um lindo fato de ballet cor de pérola que fazia lembrar um cisne. Segurava na mão um bonito ramo de flores. Tinha umas pernas finas e uns pés pequeninos sempre calçados com as suas sabrinas favoritas.
   A Magret tinha um bom caráter e uma, admirável, modéstia. Ajudava sempre que podia e era muito sonhadora. Gostava de imaginar bonitas histórias de princesas e castelos. É a melhor pessoa que conheci até hoje.  


Bruna Amado nº2, 7ºA

sexta-feira, 18 de maio de 2018

VARIAÇÕES SOBRE UM TEMA


A vingança dos gnomos
            Mas nem todos respeitavam as suas condições, a curiosidade era muita, principalmente por parte de Filipe, o ajudante de sapateiro.
            Um dia, depois de fecharem a loja, Filipe ficou cá fora, à espera que um dos gnomos aparecesse para poder ver como eles trabalhavam e como agiam. Era uma curiosidade dele e dos habitantes em geral. E ele queria apanhar pelo menos um para evidenciar a sua coragem e provar que eram seres de outro mundo.
            Filipe esperou, esperou, contudo, não teve sorte nenhuma. Sendo os gnomos mais espertos do que ele, não se deixavam apanhar facilmente e, quando desconfiavam que alguém os observava, mantinham-se à distância.
            Ai, a curiosidade era cada vez maior! Voltou a tentar, desta vez escondeu-se dentro da loja para não o verem.
            Os gnomos entraram na loja e não detetaram a presença do Filipe. Este, escondido entre as caixas de sapatos, aguardava o momento oportuno para apanhar um pelas costas. Já era madrugada quando conseguiu o seu intento. O gnomo, surpreendido, nem reagiu. Então, o jovem obrigou-o a sentar-se numa cadeira e amarrou-o. Os outros gnomos fugiram a sete pés.
            Filipe esperou que toda a gente acordasse para mostrar o seu prisioneiro. Ficaram tão espantados que se esqueceram de vigiar o estranho ser e, enquanto discutiam o que fazer com ele, uma criança aproximou-se e libertou-o.
            Na noite seguinte, os gnomos raptaram o Filipe e levaram-no para a floresta com a intenção de executarem a vingança previamente preparada.
O rapaz, ao acordar, ficou espantado e com medo, porque não sabia onde estava nem como tinha ido lá parar. De repente, ouve uns tambores a bater, eram os tambores que tocavam sempre que alguém se aproximava de um dos gnomos, fosse para o bem ou fosse para o mal. Filipe, cada vez mais assustado, esfregou os olhos, pois pensava que estava a ter um pesadelo. Quando os abre, vê um gnomo muito velho e com uma barba muito comprida, era o rei dos gnomos que ia ditar o castigo.
- Tu quebraste a condição estabelecida por nós!
- Eu só queria que as pessoas acreditassem em mim!
- Pois, mas puseste-nos em perigo, por isso vais ter de pagar! – sentenciou o rei dos gnomos.
- Mas eu não tenho muito dinheiro! – murmurou Filipe, ainda assustado.
- Mas quem disse que tinhas de pagar com dinheiro? Nós não queremos o teu dinheiro para nada!
- Então, como vou pagar?
- Vais ter de trabalhar para nós, vais ter de nos ajudar a ficar escondidos, ninguém na cidade nos poderá ver…
- Só isso? – interrompeu Filipe, já mais aliviado.
- Se cumprires estas indicações, só! Contudo, se nos desobedeceres, o teu castigo será terrível!
A partir daí, o rapaz começou a cooperar com eles e correu tudo bem, nunca mais se ouviu falar dos gnomos, mas todos ficavam radiantes quando chegavam aos seus trabalhos e viam que alguém os tinha ajudado.
        Turma  8ºA
Ariana Silva, nº 3                   Raquel Gandra, nº 1              Renata Amorim, nº 18

segunda-feira, 14 de maio de 2018

PALESTRA


No âmbito do Projeto de Animação Comum do Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, deslocaram-se à nossa Biblioteca, a Dr.ª Carla Teixeira e a Dr.ª Maria Adelaide para falarem do livro « Sob Céus Estranhos » , aos alunos do 7ºA e do 8ºD.


No fim foi servido chá e bolas de Berlim aos alunos e demais presentes, que gostaram muito de participar nesta actividade.





quinta-feira, 10 de maio de 2018

VARIAÇÕES SOBRE UM TEMA


A bailarina
                Que jovem encantadora e bonita! Sempre que estou junto dela, sou contagiado pela sua calma e tranquilidade!
            Ela tem faces rosadas e olhos castanhos muito belos que se iluminam quando me aproximo. Os seus lábios são vermelhos e carnudos, lembram uma pequena romã. O seu cabelo é castanho claro, parece mel.
            As suas mãos delicadas, finas e compridas acariciam um ramo de flores silvestres. Os seus braços são longos e as pernas altas e bem torneadas.
            Quando dança, os meus olhos perseguem-na deslumbrados!

Ana Raquel Amaral, nº 5     7ºC
Odília Monteiro Sousa, nº 18    7ºA
Victor Gabriel, nº 20    7ºA

terça-feira, 8 de maio de 2018

VARIAÇÕES SOBRE UM TEMA


No âmbito do Projeto de Animação Comum e do estudo da obra da autora escolhida – Ilse Losa, a nossa biblioteca  sugeriu a actividade « Variações sobre um tema », aos professores de Português, para levarem a cabo com os seus alunos nas turma. A actividade consistia em partir de excertos de livros variados  de Ilse Losa, lidos na hora do conto e escreverem outros textos, narrativos e descritivos. 

Amizade inesperada
               
“Desesperado e furioso, sentou-se à lareira. Mas o pardal não o deixou em paz. Voou pela cozinha dentro e pousou numa prateleira, mesmo em frente do homem. Fora de si, este pegou no machado para o matar. Mas o pardal desviou-se habilmente enquanto o homem, correndo para o apanhar, escacou a caneca da água.”                                                          “ORA OUVE…”
               

- Anda cá, seu diabo, fizeste-me partir a caneca! Vais pagar caro! Quando te apanhar novamente, não vou falhar!
                Logo de seguida, a mulher do homem entrou em casa e perguntou-lhe:
                - Que fazes tu de machado na mão?
                - Estou a tentar matar aquele pássaro…
                - Não faças isso, eu tiro-o daqui! – interrompeu-o a mulher, preocupada com o pardal. Então, esticou o braço e disse ao pássaro: - Vem cá, meu pequeno! Olha a confusão que armaste!
                O pardal, ao ouvir a doce voz da mulher, voou até junto dela e pousou-lhe no ombro. O homem, espantadíssimo, perguntou-lhe:
                - Mas… mas… como consegues que ele te obedeça?
                - Fácil! A ciência é seres meigo para ele, meigo e delicado. E, se pedires com delicadeza, ele é doce e não estraga nada! 
            - Mas como queres tu que eu seja delicado?! Ele fez-me escacar a caneca da água!
                - Foi culpa tua, ele ainda deve estar assustado. Se não corresses atrás dele com um machado na mão, ainda terias a caneca inteira! Queres experimentar?
                - Eu?! Experimentar o quê? – replicou o homem ressentido.
                - Pegar nele, claro! Vais ver que ele não é assim tão mau!
                Então o homem, mesmo fazendo cara feia, lá se sentou numa cadeira e disse:
            - Pronto, começámos mal os dois, mas estou disposto a tentar ser teu amigo! Vem cá, meu pequeno pássaro! Deixa-me…
                O pardal olhou para ele, afastou-se da mulher e voou para junto da janela, onde pousou suavemente. E diz o homem para a mulher:
                - Vês, ele não vem!
                - Não desistas, chama-o com calma! Lembra-te, ainda há pouco o tentaste matar com um machado!
                - Vem cá, meu pequeno! Não precisas de ter medo. Desculpa a atitude que tive há pouco contigo! Estive mal! Tenho aqui umas sementes para ti! – insistiu o homem com uma voz mais suave e estendendo o braço.
                O pardal, confiando nele, aproximou-se, pousou-lhe no braço e deu algumas bicadas nas sementes oferecidas.
                O homem sorriu e disse:
                - Estás a ver, pequeno, não te faço mal! Tu até não és mau de todo!
                A partir daí tornaram-se grandes amigos, o pardal começou a acompanhar o homem nas suas tarefas diárias e nunca mais se zangaram um com o outro.

Turma 8º D                                                           Ana Rita Gonçalves nº 4              
Catarina Freitas nº 7 
                                                                              Paulo Pereira nº 16
Tatiana Pereira nº 19



segunda-feira, 16 de abril de 2018

FÃS DA LEITURA

O menino que não gostava de ler, Susana Tamaro, il.Ute Krause, 2010, Editorial Presença


A história fala-no de um menino que não gostava de ler e a sua mãe levou-o a um psicólogo. O médico disse à mãe que o rapaz tinha papirofobia. Um dia Leopoldo encontra um cego na rua e compreende finalmente o seu problema. Junto começam a compartilhar muitas histórias e aventuras.
Acho que este livro é uma boa lição de vida e que ensina que é muito importante ler.

Beatriz Ribeiro, nº 2 , 5ºD

quarta-feira, 11 de abril de 2018

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA

Realizou-se mais uma etapa eliminatória do Concurso Nacional de Leitura.
Os alunos selecionados para representarem as escolas do Concelho do Porto reuniram-se na Biblioteca Municipal Almeida Garrett onde responderam aos questionários sobre os livros escolhidos pelo C.N.L:





1º Ciclo - A lenda de Ícaro, lenda grega

representou-nos:
O aluno RODRIGO ALEXANDRE CRUZ 3ºA Escola da Agra





2º ciclo - Mopsos o pequeno grego e o Ouro de Delfos

representou-nos:
O aluno ANTÓNIO CACHAPUZ Nº1  5ºD








3º ciclo- A odisseia de Homero adaptada aos jovens por Frederico Lourenço

representou-nos:
A aluna ANA BEATRIZ SOUSA Nº1  7ºA








Depois da prova foi oferecido um lanche aos alunos no bar da Biblioteca e em seguida, no auditório , tiveram oportunidade de jogar um jogo sobre os mesmos livros acima mencionados.

O nosso aluno António Cachapuz "bateu-se" corajosamente com os seus colegas eliminando-os e ficando apenas com uma adversária. Sem dar tréguas, um e outro, foram respondendo sem falhar , questão atrás de questão até que as organizadoras deram por terminado o jogo com os dois em primeiro lugar.



Todos os alunos receberam certificados de presença e pequenos sacos com presentes.

 3º Ciclo - Ana Sousa

2º ciclo - António Cachapuz

1º ciclo - Rodrigo Cruz

Os alunos apurados na prova do C.N.L. irão, no dia 25 de maio, à BMAG, para a eliminatória interconcelhia.


segunda-feira, 9 de abril de 2018

FÃS DA LEITURA

O CLUBE « FÃS DA LEITURA» aconselha:

HARRY POTTER E A PEDRA FILOSOFAL

J.K Rowling; 19ª edição;Lisboa 2002; Editorial Presença


Este livro conta-nos a história de um rapaz, Harry, que vive com os tios e não é muito bem tratado por eles. 
Um dia descobre que é bruxo e vai para uma escola de magia chamada Hogwarts onde conhece os seus melhores amigos Ron e Hermione.
Lá, vai aprender a voar, a combater a magia negra, descobrir como morreram os pais e, principalmente, quem os matou.
Durante o ano vai descobrir a existência da Pedra Filosofal, que dá para fazer o elixir da vida, e que alguém vai tentar roubar. Para defender a Pedra e impedir o roubo vai viver uma grande aventura que acaba por fortalecer a sua amizade com Ron e Hermione.
Aconselho este livro porque nos mostra o que o poder da amizade pode fazer e que o mais importante não são os bens materiais mas sim quem amámos, principalmente a família.

Bruna Amado, nº2, 7ºA



PODES REQUISITÁ-LO NA TUA BIBLIOTECA